Menu
Atualizado em 08/10/2019 às 17h40

Justiça mantém 12 anos de prisão para PM que matou vigilante com tiro na nuca em Macapá

Câmara Única negou dois recursos, um da defesa – para diminuir a pena - e outro do MP – que queria 16 anos de prisão para Dilermando da Luz. Fernando Silva foi morto em 2017. Fernando Silva foi morto com um tiro na nuca na Zona Sul de Macapá, em 2017
Raimunda Silva/Arquivo Pessoal
A Câmara Única do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) decidiu, nesta terça-feira (8), manter a condenação de 12 anos em regime inicialmente fechado ao tenente da Polícia Militar (PM) Dilermando do Carmo da Luz. Ele confessou ter matado o vigilante Fernando Silva e Silva com um tiro na nuca, em 2017.
O PM foi sentenciado, em abril, por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem dar chance de defesa para a vítima. Na época, a Justiça negou o pedido para a perda da função de militar.
A sessão desta terça-feira contou com a participação dos desembargadores Sueli Pini (vice-presidente da corte); Agostino Silvério, Carmo Antônio de Souza;...

Fonte: Globo.com

AP - Macapá

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS