Menu
Atualizado em 18/08/2019 às 22h20

Junta Militar da Renamo ameaça com acção militar caso governo moçambicano recuse renegociar

O fundador da Junta Militar da Renamo, que contesta a liderança do partido, ameaçou com ação militar se o Governo rejeitar renegociar com a estrutura para liderar as decisões do processo de Desmobilização, Desarmamento e Reintegração (DDR) social.O general da Renamo, Mariano Nhongo, condicionou o acantonamento com a integração, primeiro, dos guerrilheiros, no exército, na Unidade de Intervenção Rápida (UIR) e nos Serviços de Informação e Segurança de Estado (SISE). “Se não rebentamos com a guerra porque somos pessoas que entendem”, disse Mariano Nhongo, à margem do conselho extraordinário da junta militar da Renamo, que decorre na Gorongosa, acrescentando que o grupo apenas quer “negociar bem com o Governo”.O grupo denunciou a ausência de organizações acreditadas, como a Cruz Vermelha, para testemunhar a entrega de armas e o fim do conflito, considerando a situação um “abuso” para a democracia.“É abuso o que está para ser feito no dia 21 (de...

Portugal

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS