Menu
Atualizado em 19/08/2019 às 03h20

Há 50 euros a separar patrões e motoristas

Os motoristas de matérias perigosas ameaçaram secar as bombas de gasolina e parar o país com uma greve por tempo indeterminado para exigir aos patrões o cumprimento de um acordo de aumentos salariais para 2021 e 2022 e um novo contrato coletivo que assegurasse o cumprimento dos tempos de trabalho.

Fonte: JN.pt

Portugal

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS