Menu
Atualizado em 20/08/2019 às 00h00

Mais de 150 trabalhadores humanitários atacados este ano, 57 mortos

Cinquenta e sete trabalhadores humanitários morreram desde o início deste ano em ataques que atingiram um total de 156 destes profissionais, depois de 2018 ter sido o segundo ano mais violento, segundo a Organização das Nações Unidas.Até agora, em 2019, um total de 156 trabalhadores humanitários foram vítimas de ataques, com 57 mortos, 59 feridos e 40 raptados, disse a secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Ursula Mueller.Os dados foram revelados em Nova Iorque, no Dia Mundial da Ajuda Humanitária, para assinalar o trabalho diário dos mais de 500 mil profissionais que se dedicam á ajuda humanitária, dos quais 40% são mulheres, que correm riscos para socorrer pessoas vulneráveis.O ano passado foi o segundo mais grave para os trabalhadores humanitários, depois de 2003, tendo-se registado um total de 405 vítimas de ataques: 131 mortos, 144 feridos e 130 raptados.Ursula Mueller passou várias mensagens de como está...

Portugal

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS