Menu
Atualizado em 11/06/2019 às 14h52

Ministérios Públicos e Defensorias do ES contestam liberação do consumo de pescado do Rio Doce

O consumo de quantidades limitadas foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta semana. Os Ministério Públicos e Defensorias Públicas do Espírito Santo divulgaram, nesta sexta-feira (7), uma nota pública contestando a liberação do consumo de pescado do Rio Doce, contaminado após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana, em Minas Gerais. O consumo de quantidades limitadas foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta semana.
De acordo com a Anvisa, é seguro para adultos e jovens acima de 10 anos o consumo diário de até 200 gramas de peixe (ou 1,4 kg por semana). Para crianças de até 10 anos e gestantes, o limite diário é de até 50 gramas (ou 350 gramas semanais).
Rio Doce em Colatina, foi contaminado pela lama do Rio Doce
Viviane Machado/ G1
No entanto, no entendimento dos Ministérios Públicos e das Defensorias Públicas, “as conclusões da Anvisa, na verdade,...

Fonte: Globo.com

ES - Vitória

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS