Menu
Atualizado em 25/07/2019 às 01h20

Ainda os paraíbas


"Dos governador (sic) de paraíba, o pior é o do Maranhão. Tem que ter nada com esse cara." A já antológica afirmação de Jair Bolsonaro pode não ser a mais chocante da sexta-feira (19) em que ele negou a fome no Brasil, atacou o Inpe e mentiu sobre Míriam Leitão.

Não duvido, porém, que seja a mais reveladora quando submetida a uma leitura atenta, aquilo que os críticos literários anglófonos chamam de "close reading". O primeiro passo é deixar de lado as respostas passionais.

Tanto a indignação com mais uma barbaridade do presidente quanto a defesa automática de suas boas intenções podem ser entraves ao entendimento do "caso paraíba".

Bolsonaro começou por engolir a flexão de plural da palavra "governador", identificando-se com a fala popular: "Dos governador(es) de paraíba...". Já veremos como isso é importante.

Houve quem ouvisse ali um nome próprio, Paraíba, metonímia do Nordeste em geral....

Fonte: Folha UOL

ES - Vitória

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS